jueves, 4 de noviembre de 2021

2021 - 2022 - AS VÁRIAS PONTAS DE UMA ESTRELA - Gal Costa

 

Milton Nascimento e Caetano Veloso



Estrela de cinco pontas
Cinco estrelas no Cruzeiro
Trilhões de estrelas no céu
Três pontas, mil corações

E um menino brasileiro
Com seus olhos, duas contas
Atravessa o imenso véu
De brilhos e escuridões

Que Deus segue esse menino
Que deuses o seguirão
Meu verso de sete patas
Notas desta melodia

Quem me ensina essa lição?
Quem me explica esse destino
Que grito dentro das matas
Agora responderia

Não sei, mas ando com ele
Às vezes voamos juntos
Pedras super preciosas
Aves nas alturas tontas

Tocamos vários assuntos
Às vezes roço-lhe a pele
E somos estrelas rosas
Tres, quatro, cinco mil pontas


[1982, Caetano retrata Bituca na letra de 
As várias pontas de uma estrela













O CENÁRIO

“ … Linhas tramadas. Fios entrelaçados. Tecidos trançados em rios. Encontro de rios. ….” [Omar Salomão, 2021]


Omar Salomão e Guga Ferraz



Omar Salomão e Gal - Foto: Giovana Chanley





Foto: Giovana Chanley

Foto: Giovana Chanley








30 e 31/10/2021 - Teatro Bradesco




Foto: Giovana Chanley


Foto: Giovana Chanley



30/10/2021 - Foto: Manuela Scarpa



31/10/2021 - Foto: Giovana Chanley












12/11/2021 - Foto: Giovana Chanley


12/11/2021 - Foto: Giovana Chanley


12/11/2021 - Vivo Rio



1. PONTA DE AREIA (Milton Nascimento/Fernando Brant) 1974 / FÉ CEGA, FACA AMOLADA (Milton Nascimento/Fernando Brant) 1974

2. HOTEL DAS ESTRELAS (Jards Macalé/Duda Machado) 1970

3. ESTRELA, ESTRELA (Vitor Ramil) 1981

4. PAULA E BEBETO (Milton Nascimento/Caetano Veloso) 1975

 

5. QUEM PERGUNTOU POR MIM (Milton Nascimento/Fernando Brant) 1985

6. MINHA VOZ, MINHA VIDA (Caetano Veloso) 1982

7. DESAFINADO (Antonio Carlos Jobim/Newton Mendonça) 1959

8. ESTRADA DO SOL (Antonio Carlos Jobim/Dolores Duran, 1958)

9. SOLAR (Milton Nascimento/Fernando Brant) 1982

10. NUA IDEIA [Leila XII] (João Donato/Caetano Veloso) 1990

11. DOM DE ILUDIR (Caetano Veloso) 1977

12. ÚLTIMO BLUES (Chico Buarque) 1985

13. A HISTÓRIA DE LILY BRAUN (Edu Lobo/Chico Buarque) 1983

14. BABY (Caetano Veloso) 1968


15. GABRIEL (Beto Guedes/Ronaldo Bastos) 1978

16. MÃE (Caetano Veloso) 1978

17. CRAVO E CANELA (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos) 1971

18. AÇAÍ (Djavan) 1981

19. LUA DE MEL (Lulu Santos) 1984

20. SORTE (Celso Fonseca/Ronaldo Bastos) 1985

21. NADA MAIS [Lately] (Stevie Wonder) 1980 - Versão em portugués: Ronaldo Bastos) 1984

22. MARIA, MARIA (Milton Nascimento/Fernando Brant) 1976

 

Bis:

23. UM DIA DE DOMINGO (Michael Sullivan/Paulo Massadas) 1985

24. BRASIL (George Israel/Nilo Romero/Cazuza) 1988


Foto: Giovana Chanley

Foto: Giovana Chanley

Foto: Giovana Chanley

Foto: Giovana Chanley


Foto: Lirinha Morini




QUEM NEWS

Gal Costa reúne famosos em apresentação no Rio de Janeiro

Preta Gil e marido, Rodrigo Godoy, Rainer Cadete e Walcyr Carrasco curtiram show da artista, na noite desta sexta-feira (12/11), no Vivo Rio

13 Nov 2021

Gal Costa se apresentou no Vivo Rio na noite desta sexta-feira (12/11) e reuniu vários famosos, como Preta Gil e o marido, Rodrigo Godoy, o ator Rainer Cadete, que interpreta o Visky de Verdades Secretas 2, e Walcyr Carrasco, autor da novela. O novo espetáculo de Gal, As Várias Pontas de uma Estrela, comemora os 56 anos de carreira fonográfica e 76 de idade da artista, que é uma das vozes mais consagradas da música brasileira. 

Na apresentação, Gal se debruça sobre as relações entre o riquíssimo repertório que ela própria apresentou ao Brasil, repleto de hits e obras-primas, e a obra monumental de Milton Nascimento. No show estão presentes, portanto, canções do autor mineiro já gravadas por Gal e clássicos do repertório da cantora compostos por nomes como Chico Buarque, Caetano Veloso, Dorival Caymmi e Tom Jobim. 

O roteiro também inclui surpresas e lados B da discografia de Gal, iniciada em 1965 com o compacto Maria da Graça. A direção do espetáculo é assinada por Marcus Preto. Durante a pandemia, Gal testou o formato de piano, baixo e bateria – trocando o acompanhamento de violão pelo piano. A banda é formada por Fábio Sá (baixo elétrico e acústico), André Lima (teclados) e Victor Cabral (bateria e percussão).


Preta Gil e o marido, Rodrigo Godoy - Foto:  Roberto Filho / Brazil News
 

Walcyr Carrasco - Foto:  Roberto Filho / Brazil News


Rainer Cadete - Foto: Roberto Filho / Brazil News


Foto: Roberto Filho / Brazil News

Foto: Roberto Filho / Brazil News

Foto: Roberto Filho / Brazil News

Foto: Roberto Filho / Brazil News

Foto: Roberto Filho / Brazil News

Foto: Roberto Filho / Brazil News



Foto: Manuela Scarpa

Foto: Ricardo Nunes - Divulgação Vivo Rio

Foto: Ricardo Nunes - Divulgação Vivo Rio





Lulu Santos e Gal Costa - Foto: Giovana Chanley


Gal Costa e Rainer Cadete - Foto: Giovana Chanley




Lulu Santos e Gal Costa: Katia Araujo

Lulu Santos, Gal Costa e Preta Gil - Foto: Katia Araujo

Lulu Santos e Gal Costa - Foto: Katia Araujo

Luiz Fernando Coutinho, Walcyr Carrasco, Liège Monteiro,
Gal Costa e Rainer Cadete - Foto: Katia Araujo



Foto: Ricardo Nunes - Divulgação Vivo Rio

Liège Monteiro, Gal Costa e Rainer Cadete

Liège Monteiro e Gal Costa

Gal Costa, Liège Monteiro e Walcyr Carrasco








RJTV

Gal Costa conversa com Fábio Júdice sobre novo show



15/11/2021, Copacabana (RJ) - Hotel das Estrelas
Foto: Everson Rocha/Instagram
 





27/11/2021 - Arena Multishow - Campinas (SP)



2/12/2021 - Salão de Atos da  PUCRS  - Porto Alegre (RS)












5/12/2021 - Palácio das Artes - Belo Horizonte




5/12/2021 - Belo Horizonte










9/12/2021 - Foto: Lirinha Morini



9/12/2021 - Fotos: Rogério von Krüger














Festival Elos acontece de graça em Fortaleza 


1 DE DEZEMBRO DE 2021

Cantora Gal Costa se apresentará no sábado, 11 de dezembro, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Fortaleza se prepara para receber o Festival Elos em dezembro. Os shows serão gratuitos e contarão com nomes de peso como Gal Gosta, Chico Chico, filho da cantora Cássia Eller, e os pernambucanos Almério e Martins. 

Gal Costa se apresentará no sábado, dia 11 de dezembro, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. No evento, que começa a partir das 19 horas, a cantora apresenta o espetáculo “As Várias Pontas de Uma Estrela”, uma homenagem a Milton Nascimento. 

O show da artista também contará com composições de outros músicos, como Caetano Veloso, Chico Buarque, Dorival Caymmi (1914 – 2008) e Tom Jobim (1927 – 1994).



10/12/2021 - Foto: Lirinha Morini / Instagram

11/12/2021 - Foto: Lirinha Morini / Instagram









O Natal em São Paulo fica ainda mais especial no dia 21 de dezembro, quando Gal Costa faz um show gratuito no Teatro Sérgio Cardoso, a partir das 20h. Chamada de “As várias pontas da estrela”, a performance homenageia o mestre Milton Nascimento e outros grandes compositores brasileiros.

Como era de se esperar, o repertório está recheado de canções que marcaram a história da MPB. Há sucessos de Chico Buarque, Caetano Veloso, Dorival Caymmi e Tom Jobim, além de clássicos de Milton e outras surpresas. Tudo isso tem acompanhamento de uma banda poderosa, formada por Fábio Sá (baixo elétrico e acústico), André Lima (teclados) e Victor Cabral (bateria e percussão). A direção da apresentação é de Marcus Preto.

Para aproveitar o show “As várias pontas da estrela”, é preciso ficar atento(a): os ingressos são disponibilizados pela Sympla no dia 20 de dezembro, a partir das 20h. A reserva é limitada a dois tickets por CPF.

A performance integra a programação do Festival de Natal de São Paulo, uma iniciativa da Prefeitura.





5/2/2022






12/2/2022


Fotos: Diego DiSouza






12/3/2022 - Salvador





12/3/2022 - Everson Rocha



13/3/2022 - Gal Costa e Daniela Mercury / Instagram







19/3/2022 - Recife




Fotos: Giovana Chanley










Foto: Lirinha



Fotos: Felipe Maior



Jornal do Commercio

 

AS VÁRIAS PONTAS DE UMA ESTRELA


No show de Gal Costa no Recife, algo poderoso aconteceu

Com voz vigorosa, cantora levou o público a se reconectar com a memória e o coletivo, depois do isolamento e do distanciamento impostos pela pandemia da covid-19


Romero Rafael

Publicado em 22/03/2022



AS VÁRIAS PONTAS DE UMA ESTRELA.
Com vigor na voz, Gal Costa fez o público do Recife se reconectar
 Foto: Divulgação

 

Como num passado distante, muito distante, subimos a rampa do Centro de Convenções que dá acesso ao Teatro Guararapes. E enfileirados, por uns minutos, ficamos como por tanto evitamos. De repente, estávamos todos cercados por conhecidos e desconhecidos. Gente ao lado, na frente, atrás. Cantamos juntos — vacinados, claro, e mascarados, sim — como há muito não fazíamos, nem se ouvia. 

Embora, em Pernambuco, shows e festas tivessem já feito o setor retornar há alguns meses, entre largadas queimadas, a apresentação de Gal Costa, sábado (19/3), foi uma retomada significativa e simbolizadora na sua representação. No palco estava uma artista longeva, referencial do que a música brasileira criou — e assim nos criou — em mais de cinco décadas de sua história; e na plateia, um público ocupando todas as poltronas, sem embargo. 

Nas primeiras palavras, Gal Costa disse que as memórias afetivas eram a pedra-fundamental daquele show, "As Várias Pontas de uma Estrela". 

Nas respostas à entrevista por e-mail dias antes do show, respondeu, já na primeira frase, que "esse é um show sobre a voz". "Estamos falando da minha voz", continuou. "Além disso, tem a voz do Brasil, do público que canta comigo os hits que gravei nos anos 80", completou. 

Pois, então, pela voz da memória e da garganta, Gal Costa reconectou aquela gente toda ali, diversa e — ultimamente, por força das circunstâncias — distanciada. Por protocolos muitos, ânsias demais; limbos e esperanças, medos e traumas, otimismos/pessimismos, em vidas modificadas, ou pausadas, umas em suspense e outras tantas enlutadas. 

Se não curou um pouquinho, Gal ao menos restabeleceu algo, ali, com a sua música. "Belezas são coisas acesas por dentro", ela cantou ao País, em 1974, versos de Jorge Mautner e Nelson Jacobina da música "Lágrimas Negras". Restabeleceu-se algo, ali, pela beleza da memória, sobretudo, do meio do show até o final, quando cantou grandes sucessos chamando lembranças mais felizes do que as que produzimos nos últimos dois anos. 

O coro em "Nada Mais (Lately)" ("Dessa vez doeu demais/ Amanhã será, jamais", na versão de Ronaldo Bastos para a música de Steve Wonder) foi apoteótico — entre outros momentos tão apoteóticos. 

"Dom de Iludir", "Baby", "Mãe", sendo as três de Caetano Veloso; mais "Açaí" (Djavan); "Sorte" (Celso Fonseca/Ronaldo Bastos); "Lua de Mel" (Lulu Santos); "Maria, Maria" (Milton Nascimento/Fernando Brant) e, no bis, "Um Dia de Domingo" (Michael Sullivan/Paulo Massadas) e "Brasil" (George Israel/ Nilo Romero/ Cazuza) pareciam encontrar uma gente muito faminta de cantar coletivamente coisas de uma certa vida. Até as palmas pareciam mais altas do que um dia foram. Decibéis de emoção. 

Gal, há 56 anos cantando, cantava com uma voz que preenchia tudo. Causou devoção assim que abriu a boca. Sem marcação de cena nem repertório inédito, também aparentava estar mais solta. Falou do filho, Gabriel, sendo que pouco fala da vida pessoal. Disse que, aos 16, ele está mais alto do que ela — mas, apesar disso, continua sendo seu pequeno. "É meu pequeno grande amor." 

"Vão dizer que são tolices", mas alguma coisa ali aconteceu. A saída era feita de gente se reencontrando, comentando, os olhos secando. Aquela noite apontou para um tempo, não muito longe, em que se viveu com mais charme, certa mise en scène e coletivamente no offline. Aquela noite retomou um ontem — sem saudosismo — para, quem sabe, na realidade ou na esperança, um amanhã — que é desafiante, mas que é um amanhã. "Sei que nada será como antes amanhã" (Milton Nascimento/Ronaldo Bastos) podia estar no roteiro.










09/04/2022 - Belo Horizonte/MG Festival Breve




Fotos: Giovana Chanley




17/04 (dom) Itaipava / RJ Festival Rock The Mountain

24/04 (dom) Itaipava / RJ Festival Rock The Mountain




17/4/2022 - Gal e Rubel



17/4/2022 - Gal e Marina Sena - Fotos: Giovana Chanley


Ana Carolina, Gal Costa, Marina Sena e Preta Gil - Foto: Giovana Chanley

17/4/2022 - Ana Carolina, Gal Costa, Rubel, Preta Gil, Marina Sena,
Zé Ibarra e Fran



24/4/2022



24/4/2022


24/4/2022 - Zé Ibarra, Gal Costa, Iza e Dora Morelenbaum



24/4/2022 - Gal Costa e Iza - Foto: Giovana Chanley





30/04/2022 -  (sab) São Paulo / SP Pacaembu














30/04/2022 - Inauguração do Pavilhão Pacaembu - SP













30/04/2022 - Gal Costa na inauguração do Pavilhão Pacaembu








8/5/2022 - Praia de São Francisco - Niterói




Do camarim para o palco - Foto: Everson Rocha




Fotos: Prefeitura de Niterói








Foto: Ariel Cavotti




21/5/2022 - Goiânia




28/5/2022 - Curitiba








29/6/2022 




29/6/2022







3/7/2022




Foto: Everson Rocha





13/7/2022 - BERLIN - ALEMANHA


Haus der Kulturen der Welt | HKW
John-Foster-Dulles-Allee 10
10557 Berlin


Brazilian singer Gal Costa was called the greatest singer of Brazilian popular music in the 1980s. 

She achieved nationwide fame with the hit "Divino Maravilhoso" (Wonderful Deity) and with the song "Baby" composed for her by Caetano Veloso. 

From 1967 she was part of Tropicalismo. In addition to her conventional performances, she sometimes ventured into more daring experimental shows. Meanwhile she has been on stage for more than 35 years.


Promo

Unter den Sternen des Tropicalismo: Gal Costa feiert ein halbes Jahrhundert Musikgeschichte mit Songs aus ihrer gesamten Bühnenkarriere.

 
Im HKW präsentiert sie neue Arrangements ihrer vielen Hits und Stücke aus dem aktuellen Album As Várias Pontas de Uma Estrela – mit


Victor Cabral (Schlagzeug, Percussion),
André Lima (Piano, Keyboards) und
Fábio Sá (Bass).







13/7/2022 - Ensaio



13/7/2022 - Everson Rocha




13/7/2022 - Giovana Chanley e Gal Costa - Foto: Everson Rocha






16/7/2022 - Figueira de Foz - PORTUGAL



17/7/2022 - Valença - PORTUGAL














30/7/2022


27/8/2022



15/10/2022






















No hay comentarios:

Publicar un comentario