lunes, 28 de septiembre de 2020

1968 - CHE! - Par CATANEO

 

CATANEO não é CAETANO


"Em 1968, o disco com a canção Che, de Caetano Veloso, foi apreendido pela Polícia Federal por fazer propaganda subversiva socialista, homenageando o guerrilheiro da Revolução Cubana. Na época, Caetano era integrante do “Grupo Baiano” e de outras organizações constituídas “de cantores e compositores de orientação filocomunista”. 

Em show na boate Sucata, Caetano e Gilberto Gil cantaram uma paródia do Hino Nacional em “ritmo de Tropicália”. 

Nada disso é verdade. 

Não houve disco ou canção Che. Não houve um “Grupo Baiano” —essa era tão-somente a forma como a imprensa se referia ao grupo de cantores e compositores recém-chegados da Bahia. Não houve paródia do hino nacional (nunca existiu, tampouco, um “ritmo de Tropicália”)."

 









































1968 - CATANEO
Face 1. HASTA SIEMPREGuajira (Carlos Puebla) 2:46
Face 2. AY CHE CAMINOGuajira (Alfredo de Robertis) 3:22
Polydor S 7” (45 rpm) n° 66.592 [França]




1968 – CATANEO
Gravação originalmente lançada pela Polydor francesa
A. AY CHE CAMINO (Alfredo de Robertis) 3:22
B. HASTA SIEMPRE (Carlos Puebla) 2:46
Polydor / Companhia Brasileira de Discos S 7” (33 rpm) n° FC 126.003 [Brasil]