viernes, 28 de julio de 2017

LÍVIO CAMPOS - Fotógrafos


Lívio Campos (1956)







 










2000


1998 - CD “Brasil São Outros 500'' - Ação da Cidadania






1992

A concepção da capa do long play (LP) Circuladô é de Caetano.

Ele chegou ao meu estúdio com uma flor de girassol e me pediu para fotografá-la e também o seu rosto.

Fizemos uns 8 a 10 rolos de filmes bitola 120 mm com a camera Hasselblad 6x6cm.
Detalhe: Caetano me solicitou fotografar a flor em close-up. Fizemos várias fotos em ângulos diferentes.

No dia seguinte, com o material fotográfico revelado, marcamos um encontro em sua casa para editarmos as fotos.

Na sala, distribuímos as fotografias no chão.

Caetano, munido de uma tesoura, começou a cortar as fotos retirando um olho de uma e boca de outra foto, jogando-as em cima da fotografia em close de seu rosto, e me perguntou: tem como realizar isso?

Respondi: - Acredito que sim.

Chamamos o diretor de arte da Polygram, Arthur Froés, e ele finalizou o trabalho, que ficou bastante intrigante para a época.

Considero esta capa muito plástica, mas me incomodou um pouco a barba mal feita do Caetano, pois nota-se perfeitamente, por ser em close-up, os pelos na sua boca. Na época não usávamos photoshop e a qualidade da câmera Hasselblad é cruel. Tudo vem à tona.

Levamos umas 4 horas para realizarmos o trabalho e Caetano ficou bastante feliz com o resultado alcançado.

No ano seguinte, a capa de Circuladô e a capa Kindala, de Margareth Menezes, feita em estúdio com o Artista Plástico Pojucam, para minha surpresa, foi indicada para o Prêmio Sharp de Música Brasileira, sendo a de Caetano ganhadora do prêmio de melhor projeto gráfico de capa de disco daquele ano (1992).

Lembro, também, que Caetano ganhou mais dois prêmios: o de melhor cantor e o de melhor disco e senti-me gratificado por ter participado um pouquinho desta conquista.

Lívio Campos


1991








Canecão - Rio de Janeiro



No hay comentarios:

Publicar un comentario