sábado, 25 de julio de 2020

2020 - SÉRGIO RICARDO


João Lutfi [Marília, 18/6/1932 - Rio de Janeiro, 23/7/2020], músico, compositor, cantor, ator e diretor de cinema.


“Adoro Sérgio Ricardo desde o final da adolescência. Principalmente "Este nosso olhar" e "Pernas" (que, para meu deslumbre, reouvi na voz de minha irmã Maria Bethânia em seu show mais recente). João Gilberto cantava lindamente a primeira, mas não a gravou (e deixou de cantá-la cedo) por causa da palavra "veneno". Era uma recusa estética que soava como uma superstição. Nós conhecíamos (e amávamos) o Sérgio do LP "A Bossa Romântica de Sérgio Ricardo". Anos depois, ele estava cantando "Se entrega, Corisco" e "Manuel e Rosa viviam no sertão / Trabalhando a terra / Com as próprias mão / Até que um dia, pelo sim, pelo não / Entrou na vida deles / O Santo Sebastião", e mais "Antônio das Mortes, matador de cangaceiro" e outros versos ao violão por trás das imagens de Deus e o Diabo na Terra do Sol, filme de Glauber Rocha, núcleo do átomo do Cinema Novo. Entre a bossa romântica e esses cantos épicos, estava João Gilberto, que foi quem levou Sérgio ao marxismo. Sem a intuição profunda (e o conselho) de João, talvez não tivéssemos "Zelão" nem "Beto bom de bola" nem "O diabo de Lampião". As bossas e os sambas-canções do começo, no entanto, já bastariam para fazer de Sérgio Ricardo um gigante.”

[Caetano Veloso, 23/7/2020, Facebook]



PERNAS
Sérgio Ricardo
1960

Sinal verde
Atravessar pra lá do sol
Triste o sol
e uma tristeza em mim,
porém

Surge ao sol da tarde
Um par de pernas lindas
Leva a dona delas
meu olhar atrás

Meu bom senso não quer
me permitir palabras
Sem que seu olhar
Me lance uma esperança

O calor do sol
vem me inspirar ternuras
por aquelas pernas
para a dona delas

Eis que uma buzina conversível
Chama para o conforto
as pernas lindas
belas como a tarde
vão se pondo
E eu devolvo ao sol
A inspiração

Luz vermelha no sinal do sol pra mim
Perigoso atravessar pra lá do sol.



1967


 




 







viernes, 24 de julio de 2020

1965 - O DESAFIO


25/11/1977 - Periódico Unomásuno [México]








ODUVALDO VIANA FILHO

SERGIO BRITO
LUIZ LINHARES
JOEL BARCELOS
HUGO CARVANA
GIANINA SINGULANI
MARILU FIORANI
RENATO GRAÇA COUTO F.



 

ISABELLA usa joias NATHAN
Penteados ROSINHA
Sapatos FERNANDO BELLINI
Maquiagem GERMAINE MONTEIL
Tecidos NUANCE

Produção MARIO FIORANI
Montagem ISMAR PORTO
Negativo PAULA CRACEL

Fotografia GUIDO COSULICH
























 









 













 
 











 
 
 
 






 


 
 
 
 

















 





















 

















1969 – ÑICO - Instituto de Arte e Industria Cinematográficos de Cuba (ICAIC)