lunes, 24 de enero de 2022

2021 - FANTÁSTICO - Meu Coco


 


O Fantástico foi ao ar na noite de domingo, dia 31/10/2021.


‘Fantástico’: Poliana Abritta entrevista Caetano Veloso

Por Warlen Pontes

29/10/2021

 

Caetano Veloso 

Prestes a lançar um novo projeto com músicas inéditas feitas durante a pandemia, Caetano Veloso recebeu Poliana Abritta para uma entrevista exclusiva.

 Ele revela que cantar e a convivência com os filhos e netos estão entre os maiores prazeres da sua vida atualmente. E apresenta em primeira mão para o ‘Fantástico’ músicas do novo álbum, “Meu Coco”. 

Depois de fazer turnê pela Europa, ele revela ainda se tem intenção de percorrer o Brasil. Eles gravaram a entrevista sem máscara porque tanto Poliana quanto Caetano estão completamente vacinados e foram testados para a Covid.





Musical: Caetano Veloso faz versões especiais de suas novas canções para o Fantástico

Ele ainda deu uma entrevista exclusiva à Poliana Abritta, para falar sobre a vida, a pandemia, o Brasil e, claro, sobre música.

Por Fantástico

31/10/2021  

Aos 79 anos, Caetano Veloso continua atento a tudo! Seu novo álbum, 'Meu Coco"', é uma grande homenagem à diversidade musical brasileira 


Poliana Abritta: Estar assim, de frente pra você, é dar de cara com toda a riqueza da brasilidade. E dá uma esperança danada, viu?

Caetano Veloso: Puxa vida, que bom! 


“Eu tenho 79 anos. Fui vendo como o negócio é difícil, mas é inevitável. O Brasil é inevitável”, afirma Caetano. 


Poliana: E aí você chega com um trabalho novo, que fez durante a pandemia, e pegou a gente de surpresa! Você começou esse trabalho lançando a música "Anjos Tronchos". E você fala do encantamento e, ao mesmo tempo, de tudo que há de sombrio na tecnologia, nas redes sociais. Eu soube que você, por exemplo, não lê comentários nas redes sociais.

Caetano: Não olho, não vejo, não acompanho.

 

“O disco se chama 'Meu Coco' porque é só o que se passa na minha cabeça”, revela.


Poliana: Caetano, quais são os grandes prazeres da vida nessa fase?

Caetano: Olha... cantar é um deles.

 

Poliana: Entre esses prazeres, tem samba?

Caetano: Então, foi o Pretinho da Serrinha que me perguntou: não tem samba nesse disco, não? Aí eu fiz um samba que se chama "Sem samba não dá". Tem elementos desse samba de hoje em dia, um pouco sambanejo, mas depois cai num samba raiz.

 

Poliana: Caetano, eu preciso saber uma última coisa: quando vai ter show no Brasil?

Caetano: É uma coisa que nós todos nos perguntamos. Na Europa, a gente encontrou situações muito definidas em cada país. No Brasil, faltou respeito à seriedade da questão por parte das autoridades.



Imagens Reprodução TV Globo
























1991 - CIRCULADÔ

 


















1998 - MISCELÁNEAS

 










domingo, 23 de enero de 2022

2022 - ELZA SOARES


Elza da Conceição Soares

[Rio de Janeiro, 23/6/1930 - Rio de Janeiro, 20/1/2022]

 

“Elza Soares foi uma concentração extraordinária de energia e talento no organismo da cultura brasileira. Tendo sido fã de sua voz e musicalidade desde os meus anos de ginásio, tive a honra de ser procurado por ela quando de sua iminente decisão de abandonar a carreira e/ou o Brasil. Fui capaz de convencê-la a ficar porque entendi que aquilo era uma espécie de pedido de socorro. Compus o samba-rap "Língua" e a convidei para cantar a parte melódica. Assim ela voltou a cantar e a receber atenção. Voltou à televisão e, depois, figuras tão díspares quanto Lobão e Zé Miguel Wisnik fizeram questão de trabalhar com ela. Recentemente jovens músicos paulistanos (e ao menos um carioca que vive em Sampa) têm feito com ela o que ela merece. Morreu na glória a que fazia jus, numa idade respeitável, afirmando a grandeza possível do Brasil.” 

[Caetano Veloso, 20/1/2022]

 









Revista Radiolândia n° 299 - 26/12/1959









Fotos: Ari Gomes / Jornal do Brasil