viernes, 2 de febrero de 2018

RICARDO BELIEL - Fotógrafos


“Quando Caetano e Gil voltaram do exílio em Londres, em 1972, havia no Rio todo um ambiente tropicalista/contracultural que se espalhava pelas dunas na praia de Ipanema, o MAM, no aterro do Flamengo, os teatros de Copacabana, as ladeiras de Santa Teresa e, quando a polícia não nos perseguia, os festivais de música ao ar livre.

Ao chegarem do frio londrino em pleno verão carioca os baianos fizeram concertos antológicos nos teatros Tereza Raquel, João Caetano, Municipal e Opinião. Eu, um jovem desenhista e fotógrafo esforçado, que frequentava seus ensaios, conheci o produtor e mentor artístico/tropicalista Guilherme Araújo, que passou a comprar as fotos que eu fazia com minha modesta câmera para ajudar na divulgação. Assim, comecei a publicar minhas primeiras fotos e, principalmente, a me sentir alguém com uma câmera na mão.”
[2015, Ricardo Beliel]











No hay comentarios:

Publicar un comentario