jueves, 8 de diciembre de 2016

1998 - DERRADEIRA PRIMAVERA




Dona Flor e seus 2 maridos, minissérie da televisão brasileira, autoria de Dias Gomes, Ferreira Gullar e Marcílio Moraes, produzida pela Rede Globo no ano de 1997 e exibida um ano depois, de 31 de março a 1 de maio de 1998, com direção de Mauro Mendonça Filho.

Nos papéis principais, Giulia Gam, Edson Celulari e Marco Nanini.





Música: Antonio Carlos Jobim
Letra: Vinicius de Moraes
© 1962 Jobim Music / Tonga Editora Musical Ltda 

Trilha sonora da minissérie "Dona Flor e seus dois maridos", exibida pela TV Globo em 1998.



Põe a mão na minha mão
Só nos resta uma canção
Vamos, volta, o mais é dor
Ouve só uma vez mais
A última vez, a última voz
A voz de um trovador


Fecha os olhos devagar
Vem e chora comigo
O tempo que o amor não nos deu
Toda a infinita espera
O que não foi só teu e meu
Nessa derradeira primavera






DONA FLOR e seus 2 maridos

TV Globo
Período de exibição: 31/03/1998 - 01/05/1998
Horário: 22h 30
20 capítulos
Minissérie de Dias Gomes
Baseada no romance homônimo de Jorge Amado
Escrita por Dias Gomes, Marcílio Moraes e Ferreira Gullar
Direção de Mauro Mendonca Filho, Rogério Gomes e Carlos Araújo
Direção geral de Mauro Mendonça Filho
Direção de núcleo: Guel Arraes




'A adaptação de DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS fez mais do que dar ao romance baiano de Jorge Amado um tempero estrangeiro, pero latino, de realismo fantástico (o que seria uma banalidade apenas); deu a ele a dimensão de mitologia pura. É isso, aliás, que sustenta o exagero central da adaptação , o de misturar automóveis dos anos 70 com telefones dos anos 90 e roupas de sabe-se lá quando: na mitologia de Dona Flor, a mulher que resgata o marido da morte, o tempo já não importa, já não passa, mas permanece ali, como um oceano. O recurso da eternidade forçada resultou especialmente poderoso na televisão, que tem por natureza o poder de não deixar morrer o passado. É uma delícia entrega-se ao torpor, quando Giulia Gam (a Flor) aparece sorrindo, encabulada, a um Marco Nanini como o farmecêutico Teodoro, a um elenco bem distribuído. E assim é Dona Flor, uma baiana antiga, que não esmaece nunca. Oxalá, meu pai. Que Vadinho, que nada. Somos todos seus maridos'. EUGÊNIO BUCCI/REVISTA VEJA





 



 
1998 – CAETANO VELOSO 
Álbum “Dona Flor e seus dois maridos” 
Trilha sonora da minissérie exibida pela TV Globo em 1998 
Som Livre 2 DVD’s 1018-9 [2003]








No hay comentarios:

Publicar un comentario