martes, 1 de noviembre de 2016

1979 - 1980 - GAL TROPICAL




1979
Revista O CRUZEIRO
n° 2454 – 26 de janeiro

 


 
1979
Revista Veja
n° 544 – 7 de fevereiro


Texto escrito por Decio Bar (ps. 54-61)

Foto: Sérgio Sade / Revista Veja - p. 54


   Foto: Sérgio Sade / Revista Veja - p. 56


Teatro dos 4, sempre lotado - Foto: Walter Firmo / Revista Veja - p. 59




O show Gal Tropical estreou na quinta-feira 11 de janeiro de 1979 no Teatro dos 4, no Rio de Janeiro.



 




































Compacto duplo





 
1979
Revista AMIGA
n° 485 – 5 de setembro







 


 







ESTRÉIA 
Quarta-feira, 9 de abril de 1980 

Shopping Center Ibirapuera

apresenta



                           GAL 
                                 TROPICAL

      com GAL COSTA


TUCA - Teatro da Universidade Católica
Curtíssima temporada
Criação e Direção: GUILHERME ARAÚJO
Produção: MANOEL POLADIAN






FOLHA DE S.PAULO
Ilustrada – P. 29

Quarta-feira,  9 de abril de 1980.


“Desde o início senti que este show seria legal e com boa repercussão

Gal, num show de sucesso,
garra e muito trabalho

Finalmente, estréia hoje em São Paulo, no Tuca, o show Gal Tropical, depois de ficar mais de um ano em cartaz no Rio sempre com casa lotada, transformando-se no maior sucesso da carreira de Gal Costa. Um sucesso que nem mesmo ela sabe explicar bem porque aconteceu.

- Acho que o público gostou tanto porque esse é um show bem cuidado, extremamente profissional e onde eu tenho muita garra. Cada vez que ele começa eu estou com a mesma votande, a mesma fé.

Gal acha que em Gal Tropical houve um empenho, “uma amorosidade” de muitas pessoas envolvidas, desde os músicos, a produção, a direção, até ela mesmo, claro.

- Desde o começo, nos ensaios, eu sentía que ese show tinha uma vibracão legal, e por isso ele teria uma boa repercussão. Mas não pensava que fosse tanto assim.

Ela afirma que sua única intenção ao montar Gal Tropical foi a de fazer com que as pessoas saissem do teatro alegres, contentes e cantando.

E ao que parece seu objetivo foi atingido, não somente com o espetáculo, ja que seu disco Gal Tropical, gravado em estúdios com músicas que fazem parte do espetáculo, já superou a casa das 300 mil cópias vendidas, e algunas músicas como Balancê e Forca Estranha estão entre as mais executadas nas rádios.

A pesar de permanecer um ano com o show no Rio, ela ficará apenas dois meses em São Paulo, com possibilidade de um terceiro mês, apenas porque pretende ainda mostrar o show em todo o Brasil e no Exterior, no Japão, em agosto, e em Nova York, sem data acertada.

- Quero partir para o mercado exterior porque tenho a impressão de que dá para fazer um trabalho novo lá, uma coisa com qualidade.
Além do Japão, que já está acertado, eu também irei ao festival de Montreux, em julho. Acho que um novo show no Brasil só daqui uns dois anos…

Daqui alguns meses Gal entrará em estúdios para gravar um novo LP pela PolyGram, provavelmente apenas com músicas de Ary Barroso. Ela ainda nao definiu o repertorio, mas é quase certo que gravará Aquarelas do Brasil, possível título do LP.

Em Gal Tropical ela veste roupas desenhadas especialmente para ela por Guilherme Guimarães. A direção geral é de Guilherme Araújo, direção musical de Perna Fróes, direção de cena de Amin Khader e cenários de Oscar Ramos e Luciano Figueiredo. Os músicos que acompanhan são Perna Fróes (teclados), Moacyr Albuquerque (baixo), Sérgio Boré (percussão), Juarez Araújo (sopro), Zizinho e Tangerina (ritmistas) e Charles Chalegre (batería). Entre as músicas que Gal cantará estão Samba Rasgado, Noites Cariocas, Índia, Sebastiana, Estrada do Sol, Juventude Transviada, Olhos Verdes, Samba do Avião, Olha, Folhetim, Sonho Meu, Balancê, Meu Nome é Gal e Força Estranha, de Caetano Veloso, a música de que ela mais gosta do show.

- Acho que todo artista gostaria de ter feito essa música, porque ela fala do artista, dessa coisa mágica que é estar num palco. Eu vejo assim como uma parada no meu show, onde eu vou a frente no palco, canto sozinha com violão, dizendo o meu recado, e depois volto a cantar normalmente. Força Estranha para mim é isso!.






1980
Revista Sétimo Céu
n° 88 - Maio









 
 









1980
Revista AMIGA
n° 533 – 7 de agosto




 
 
 





Fotos: Luiz Saraiva

 










No hay comentarios:

Publicar un comentario