miércoles, 11 de noviembre de 2015

1993 - AÇÃO DA CIDADANIA CONTRA A FOME, A MISÉRIA E PELA VIDA



Herbert José de Souza (3/11/1935 – 9/8/1997)




Movimento social, lançado em março de 1993, com o nome de Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, ou Campanha do Betinho, como ficou conhecida, graças a seu articulador, o sociólogo Herbert de Souza. 

Betinho inicia a “Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e Pela Vida”

Um dos maiores eventos do período inicial da Campanha foi o Show Musical
realizado em 29 de agosto no Memorial da América Latina, na Capital Paulista, reunindo Djavan, Paulinho da Viola, Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, João Bosco, dentre outros artistas – quando então são arrecadadas nove toneladas de alimentos.  





"Show do
Memorial da América Latina"
 S. Paulo



Caetano Veloso 
O LEÃOZINHO (Caetano Veloso)
UM ÍNDIO (Caetano Veloso)
 SAMPA (Caetano Veloso)

Gilberto Gil

BUDA NAGÔ (Gilberto Gil)
CIÚME (Carlos Lyra)
NÃO CHORE MAIS [No Woman, No Cry) (Vincent Ford – Versión: Gilberto Gil)
SAUDADE DA BAHIA (Dorival Caymmi)



Caetano Veloso/Gilberto Gil

DESDE QUE O SAMBA É SAMBA (Caetano Veloso)

QUALQUER COISA (Caetano Veloso)





 Chico Buarque

ESTAÇÃO DERRADEIRA (Chico Buarque)



Djavan

DE FLOR EM FLOR (Djavan)


MEU BEM QUERER (Djavan)
OCEANO (Djavan)
SINA (Djavan)



João Bosco
JADE (João Bosco)
MEMÓRIA DA PELE (João Bosco/Wally Salomão)
PAPEL MARCHÊ (João Bosco/Capinan)
QUANDO O AMOR ACONTECE (João Bosco/Abel Silva)


Paulinho da Viola/Caetano Veloso/Gilberto Gil/João Bosco/ Djavan

AI, AI, MEU DEUS (Babaú da Mangueira)













Clipe de divulgação da campanha Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida.

“Longe, muito longe daqui havia um pais muito rico. Rico, mas corrompido pelo egoísmo e pela indiferença do seu povo. Nesse país vivia um homem que ia todos os dias durante muitos anos para o meio da praça tentar convencer as pessoas a mudarem de atitude, a lutarem contra as injustiças. Quase ninguém ouvia. Um dia um viajante que passava por ali lhe perguntou:

- Há anos que eu passo por aqui e vejo você lutando para modificar as pessoas. Por que você continua?

E o homem lhe respondeu:

- É simples. Se eu desistir elas que terão conseguido me modificar”.




 











22/03/1995
Central de Apoio do IBASE
Informe da Ação da Cidadania Contra a Miséria e Pela Vida

DEMOCRACIA NA TERRA COMECA NA SEXTA, 24

Caetano, Marcos Valle e Rafael Rabello farão mini-show

Caetano Veloso, Marcos Valle e Rafael Rabello são as atrações que marcarão o início da nova etapa da Ação da Cidadania contra Miséria e pela Vida, a "Democracia na terra", na próxima sexta, 24, às 14h, no Hotel Meridien. No lancamento, que contará com a presença do articulador nacional da campanha, Betinho, haverá exibicao do novo filme
publicitário e será divulgada a íntegra da "Carta da Terra". Este é mais um tema da Ação da Cidadania que se junta aos da fome e do desemprego.

Carta da Terra é abaixo-assinado

A "Carta da Terra" é um documento redigido por Betinho e reproduzido em forma de cartões postais que funcionarão com abaixo-assinado. Cada cidadão que concordar com seu conteúdo assinará a carta e a enviará ao Presidente da República. "Assinam esta carta os que desejam mudar a terra, querem democracia na terra. Mas ainda neste século. Já se esperou demais. A democracia na terra é condição de cidadania.", diz Betinho na carta.

A Ação da Cidadania quer remeter ao Presidente da República 1 milhão de cartas, que a partir de abril estarão à disposicão do público.

Regina Novaes

Começo com uma citação: Como condição para eliminar das eleições os vícios que as caracterizavam, a existência do latifúndio, "eles" propuseram a reforma agrária. Quem eram "eles" e a que eleições "eles" estavam se referindo? É Leonilde Medeiros, em um de seus textos, quem nos informa: "eles" eram os Tenentes e as eleições eram as de 1920. Reforma agrária, eleições, vícios, votos de cabresto, atraso político do Brasil são temas ainda em pauta.
E, no ano passado, 75 anos depois, quando foi lançada a terceira etapa da Ação da Cidadania contra a Fome e a Miséria, com o tema da "Democratização da Terra", os meios de comunicação divulgaram as razões que os organizadores veicularam para a escolha deste slogan, ao invés da conhecida palavra de ordem "reforma agrária", aquela dos Tenentes dos anos 20. A idéia, de nomear assim a Campanha, veio ao encontro da necessidade de encontrar formas para sensibilizar a opinião pública para a questão da terra e tentar desassociá-la de imagens negativas, sangrentas. Assim se expressou Herbert de Souza, em artigo publicado na Folha de São Paulo, em 14 de abril de 1995: "É preciso pensar a terra como planeta, não como lote. Como bem de todos, não de alguns. Como fecundidade e vida, não como arame farpado, sangue e morte." No dia do lançamento da Campanha, reafirmando a possibilidade de novas parcerias no interior da sociedade brasileira, as presenças de Betinho, de Caetano Veloso, Rafael Rabello, infelizmente falecido, Marcos Valle, Joyce, Lobão, que cantaram músicas relacionadas à terra; as presenças das atrizes Eva Wilma e Maitê Proença; do diretor de cinema e teatro Domingos de Oliveira garantiram a presença da imprensa e as notícias no dia seguinte. Todos os que estavam ali presentes assinaram cópias da Carta da Terra, escrita por Betinho e mandada para o Presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Naquele ato, foram chamados também para assiná-las publicamente, representantes de organizações de trabalhadores rurais, a saber: do Departamento Nacional dos Trabalhadores Rurais da Central Única dos Trabalhadores (DNTR-CUT), da Confederação Nacional dos trabalhadores na Agricultura (Contag), do Movimento dos trabalhadores Sem-terra (MST). No início havia uma interrogação entre eles: não sabiam se, enquanto "representantes" dos trabalhadores diretamente interessados, seriam chamados a falar, como sempre acontecia nos eventos da Campanha Nacional pela Reforma Agrária (CNRA), também coordenada pelo Ibase, até pouco tempo atrás. Apenas assinaram. Mas, entre eles, e outros convidados, principalmente gente de ONGs, sentia-se uma alegria, porque se falava de um velho problema, para um novo público. Entretanto, havia também uma certa nostalgia no ar: ali estava proscrita a expressão "reforma agrária", cuidadosamente evitada.










Entidade lança CD para arrecadar fundos contra fome

Agência Folha 29/10/1998

Do Rio de Janeiro

Um show de Milton Nascimento no Metropolitan, na Barra da Tijuca (zona sul do Rio), no dia 3 de novembro, marcará o lançamento do CD duplo “Brasil São Outros 500'', um projeto da campanha Natal Sem Fome. O CD traz parcerias inusitadas entre cantores e atores.

O Natal Sem Fome -que chega ao sexto ano consecutivo- é organizado pela Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida. A campanha distribui cestas básicas a famílias pobres. O lançamento do CD será também uma homenagem ao idealizador da Ação da Cidadania, o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, morto em 1997.

Além de regravações, o CD terá duas músicas inéditas: “Entidade Universal'', de Carlinhos Brown, e a instrumental “Rancho do Paraíso'', composta pelo próprio Betinho. O CD custará R$ 15.







Som Livre CD 5103-2 - Foto: Livio Campos







3/11/1998







No hay comentarios:

Publicar un comentario