jueves, 15 de octubre de 2015

2008 - INAUGURAÇÃO DO TEATRO TOM JOBIM





São Paulo, sexta-feira, 26 de setembro de 2008

CAETANO & MILTON
 
Caetano Veloso e Milton Nascimento vão fazer o show de reinauguração do Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico do Rio, patrocinado pela Vale. O Jobim Trio, que abriga o filho e o neto do maestro, também participa da homenagem, no dia 6 de novembro.


 



 
01/10/2008
Milton e Caetano na casa de Tom Jobim
Ricardo Schott, Jornal do Brasil

RIO - Música e natureza, duas das maiores paixões de Tom Jobim, estão materializadas no recém-inaugurado teatro que leva o nome do maestro, instalado em pleno Jardim Botânico. 

Aberto na terça-feira à noite para patrocinadores e para a imprensa, com show de Milton Nascimento, Caetano Veloso e Jobim Trio, o Teatro Tom Jobim recebe o público a partir da próxima quarta-feira, às 17h, com um happening comandado pelo diretor de teatro Amir Haddad.

A programação, que além de música inclui espetáculos teatrais e mostras de cinema, começa a ser montada de maneira tão orgânica quanto foi a própria construção do espaço. Para outubro, já está definida a agenda de teatro, com curadoria assinada pelo diretor, pesquisador e produtor Fábio Ferreira, que traz ao Brasil espetáculos internacionais como Warum, Warum, do londrino Peter Brook.

A partir do dia 6 de novembro, acontecem shows semanais da série Concertos da Amazônia, com apoio da Vale, que inauguram a exposição Amazoniando o Brasil: cultura e natureza, programada para a sala de eventos do teatro. Os primeiros artistas a pisar no palco ainda estão sendo negociados confirmada, só uma apresentação de Ney Matogrosso no dia 27 de novembro, em homenagem a Chico Mendes.

Planeja-se ainda uma mostra de cinema ambiental e o festival de cinema Brasil África América Latina, além de um um seminário sobre a Amazônia, com participação da senadora Marina Silva.

O lugar antes era uma obra. Agora é uma obra em progresso, como no show do Caetano brinca João Augusto Fortes, um dos curadores do espaço e da exposição Amazoniando o Brasil. A exposição inclui imagens da Amazônia. Com ela, pretendemos dar uma ambientação maior. Também queremos fazer outro show em homenagem a Chico Mendes no dia em que ele foi assassinado, 22 de dezembro. Nessa o ocasião, teremos até transmissão pela internet.

O teatro tem dois pavimentos, sala de exposição, sala de vídeo e espaço para até 500 pessoas as cadeiras são móveis. Por ser localizado dentro do Jardim Botânico, a proposta é que tudo que aconteça lá esteja integrado com o lugar. Também curadora, Biza Vianna ressalta o tom variado do Teatro Tom Jobim.

Existem poucos lugares nos quais a cultura brasileira é valorizada. E nós estamos nos propondo a isso, ela vai unir nossas atividades. sentencia Biza. Nosso lema é multiplicidade, é dar espaço ao negro, ao índio. São poucos os espaços que se propõem a celebrar Chico Mendes, por exemplo.

O roteiro do show de abertura passou pelo repertório do CD Novas bossas, incluindo uma série de músicas de Jobim e uma emocionada interpretação de O vento, de Dorival Caymmi, feita por Milton. O trio, devagarzinho, trouxe ao palco os dois participantes ilustres. Caetano entrou para cantar Por toda minha vida, de Tom e Vinicius, a sexta canção, levado ao palco por Daniel Jobim, e Milton entrou no meio de Só tinha de ser com você (parceria com Aloysio de Oliveira), a 11ª música.

No bis, com Chega de saudade, também de Tom e Vinicius, cantaram juntos e brincaram um com o outro, abraçados, na hora do verso que é pra acabar com esse negócio de você longe de mim . Após o show, ambos foram para compromissos: Caetano à gravação de seu próximo disco durante a madrugada e Milton viajou para Minas, antes de partir em excursão internacional.

A gente praticamente só ensaiou nesta quarta-feira. O Milton até chegou e mudou umas coisas, mas foi só seguir a partitura disse, extasiado, Daniel Jobim, lembrando que o Jardim Botânico acompanhou seu avô até a morte. Ele foi velado aqui (aponta para a casa na qual foram montados os camarins do espetáculo). Já gravaram especiais de televisão com ele no Jardim Botânico. Num deles, houve um encontro com Roberto Carlos e, num momento, ele livrou Roberto de pisar numa cobra que estava no caminho.
Presidente do Jardim Botânico, Liszt Vieira confirma a paixão que Jobim acalentava pelo lugar.

A história dele passa pelo Jardim Botânico, ele inclusive compunha aqui diz Vieira, afirmando que o teatro é parte de um grande corredor cultural. Futuramente faremos exposições num galpão que está na frente do teatro.

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, afirmou que continua tudo o que Gilberto Gil vinha fazendo pelo lugar.

Pretendemos continuar ajudando por intermédio da Lei Rouanet. A idéia é que fique claro que a questão ambiental pertence ao mundo da cultura.








 






No hay comentarios:

Publicar un comentario