sábado, 31 de octubre de 2015

2006 - CAETANO VELOSO / MORENO VELOSO





14/09/2006 

Caetano e Moreno Veloso abrem álbum de família em show em SP


Por Raquel Stenzel

SÃO PAULO (Reuters) - Um dia depois da chegada às lojas de "Cê", o novo álbum de Caetano Veloso, o músico baiano se apresentou ao lado de seu filho Moreno, na noite de quarta-feira em São Paulo, em um show exclusivo para convidados em comemoração aos 60 anos do Sesc.

Apesar de Moreno assinar a produção de "Cê", o espetáculo ficou muito longe de um show típico de lançamento de CD. A sonoridade quase roqueira de "Cê" deu lugar à doçura das duas vozes familiarmente distintas, além de dois violões e um parcimonioso pandeiro.

Ademais, as composições inéditas do álbum foram esquecidas para dar espaço a músicas bem mais conhecidas do repertório da dupla.

O show começou com a canção norte-americana "Be Kind to Your Parents", algo como "seja gentil com seus pais". A partir daí, a viagem pelo universo familiar dos músicos se acentuou.

Os dois cantaram "Minha Mulher", música composta pelo pai (Caetano) para a mãe (Dedé Gadelha) e que faz parte do disco "Jóia", lançado em 1975. Durante muitos anos, a capa do LP foi censurada por trazer um desenho de Caetano, Dedé e Moreno (com dois anos de idade) nus.

O afeto e a admiração mútuos pontuaram toda fala e canções do show. "Ele me ajudou muito a viver, e ajuda até hoje", disse Caetano sobre seu primogênito.
Pai e filho revezaram e dividiram o microfone em um harmônico passeio sonoro, que incluiu as canções "Coração Vagabundo", "Cores Vivas", "Genipapo Absoluto", "Sete Mil Vezes", "Tempestades Solares", "A Tua Presença Morena", "How Beautiful Could a Being Be", entre outras.

Como em um álbum de família, foram retratadas a música que deu inspiração ao nome Moreno, a primeira canção ensinada pelo pai ao filho e a primeira parceria aos nove anos de idade -- "ou teria sido aos oito?", perguntou Caetano. "Os filhos são sempre mais velhos do que a gente quer".

TIO GIL NA PLATÉIA

Concebido e dirigido por Carlos Rennó, o show deu início à série "Pais e Filhos", da Temporada Sesc de Artes, no Sesc Pinheiros.

A apresentação cumpriu o objetivo da série, reunindo pai e filho no palco "para fazer o que já fizeram ou pensaram em fazer na sala de casa", segundo os organizadores.

Na platéia, contudo, os menos familiarizados com os Veloso queixaram-se do repertório do show, enquanto os mais próximos se emocionaram. Entre estes estavam o ministro da Cultura, Gilberto Gil, a sua mulher, Flora.

Gil estava ali como representante do governo federal, mas também como amigo de Caetano, tio de Moreno e compositor de algumas das canções escolhidas.

Apesar da solicitação da platéia, Gil não subiu ao palco para cantar e restringiu sua participação a um breve discurso no início evento.

"O Gil está feliz ali", disse Moreno. E Caetano arrematou: "O Gil é ministro por enquanto."

Nesta quinta-feira, o espetáculo será reprisado para as pessoas que conseguiram comprar os cerca de 1.000 ingressos colocados à venda na sexta-feira -- e esgotados em meia hora.




14 de setembro de 2006

Caetano e Moreno inauguram projeto "Pais e Filhos"

Pai e filho apresentam show inédito nesta quinta-feira, no Sesc Pinheiros; "Só Vendo Que Beleza", primeira música que Caetano ensinou para Moreno, integra o repertório
 



SÃO PAULO - A máxima ´tal pai, tal filho´ não se aplica no caso de Caetano e o filho, Moreno Veloso. Ok, os dois são músicos, mas cada qual construiu trajetórias muito particulares. Caetano é uma peça importante na história da MPB enquanto Moreno tem formação consistente em projetos como Orquestra Imperial e Domenico + 2. No entanto, por mais que os dois façam questão de manter identidades próprias, difícil falar que não há pelo menos um pouco de influência de um para outro e de outro para um. ´Desde que ele era menino, a gente canta ´Noche de Ronda´ juntos´, conta Caetano. E foi batata: a canção entrou no repertório do show inédito que apresentam nesta quinta-feira, no Sesc Pinheiros, estreando a série "Pais e Filhos".

Outra música, "Só Vendo Que Beleza" (Henricão e Rubens Campos), também é especial. ´Foi a primeira música que ensinei para Moreno. Ele a gravou comigo no primeiro disco do Domenico + 2. São coisas que já fazem parte da nossa vida.´

O repertório afetivo da dupla inclui canções de Caetano, como Genipapo Absoluto, e de Moreno, como "How Beautiful Could a Being Be". E como o paizão previa, entraram músicas de Gil. ´Moreno não se interessa muito em tirar minhas canções, que são simples. Desde menino, queria tirar as do Gil, com os mesmos toques de violão. E ele faz isso.´
 



Leia Mais:http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,caetano-e-moreno-inauguram-projeto-pais-e-filhos,20060914p4639
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

Leia Mais:http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,caetano-e-moreno-inauguram-projeto-pais-e-filhos,20060914p4639
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter


Leia Mais:http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,caetano-e-moreno-inauguram-projeto-pais-e-filhos,20060914p4639
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

No hay comentarios:

Publicar un comentario