lunes, 10 de septiembre de 2012

1998 - CIDADÃO PAULISTANO


El 16 de agosto, recibe el Título de Cidadão Paulistano concedido por la Cámara Municipal de San Pablo.

JUSTIFICATIVA

“Caetano Veloso, apenas por ter composto a música Sampa, é merecedor do título de cidadão paulistano. Canção que completa em 1998, 20 anos, desde o seu lançamento no disco Muito. Há muito tempo este título que ora proponho poderia ter sido concedido, uma vez que Caetano Veloso prestou à nossa cidade uma das mais lindas homenagens que uma canção pode eternizar. Não há quem não conheça a obra e seu autor.

Compositor, cantor, poeta, cineasta, escritor são qualificativos insuficientes para dar conta do que Caetano Veloso representa para a cultura brasileira. Talvez o melhor rótulo seja o de artista…”

. . .

... Por essas e por outras é mais do que hora de conceder a este homem o título de cidadão paulistano. Ele que tanto já deu a nós paulistanos nascidos em São Paulo, na Bahia, em Recife, na Paraíba, em Belo Horizonte, no Mato Grosso, em Manaus, em Florianópolis, na Itália ou no Japão, merece agora um presente.

Talvez seja pouco, mas é o presente que os representantes do povo da maior da cidade da América do Sul têm ao alcance para dar ao senhor Caetano Veloso. O sonho que todos acalentamos é o de que este título de Cidadão de São Paulo, conferido ao baiano de Santo Amaro da Purificação, simbolize a conquista próxima do mesmo status para todos aqueles nordestinos ou filhos de nordestinos, a fim de que em nossa cidade somente a música guarde o verso Ninguém é cidadão."










São Paulo, domingo, 16 de agosto de 1998

MPB

Caetano diz que confere narcisismo a SP

BRUNO GARCEZ
da Reportagem Local

Caetano Veloso será sagrado cidadão paulistano hoje durante show no parque Ibirapuera.
O título, dado pela Câmara dos Vereadores da cidade, foi um dos temas da entrevista que o cantor concedeu à Folha na última sexta, quando foi homenageado na livraria Saraiva, do shopping Eldorado.



Caetano falou também sobre a entrevista de sua mulher, Paula Lavigne, à revista "Playboy" deste mês, em que diz ter mantido relações sexuais com Caetano aos 13 anos de idade, e sobre os dois prêmios recebidos no Video Music Brasil, premiação anual da MTV.

Folha - Como será o show de hoje? Haverá alguma novidade?
Caetano -
A apresentação terá o mesmo repertório do show "Livro Vivo", sem novas canções. Vou receber o título de cidadão paulistano, algo de grande importância
Folha - Receber essa homenagem foi uma surpresa?
Caetano -
Eu não esperava. Fiquei honrado. Morei aqui durante o período do tropicalismo e fiz a canção "Sampa". Era só uma referência a "Ronda", de Paulo Vanzolini, mas todos a conhecem hoje atualmente e a música deu a São Paulo um narcisismo que faltava à cidade.
Folha - A premiação da MTV também o deixou honrado?
Caetano -
Adoro festas de premiações. Não entendo nada de categorias, nem valorizo o prêmio em si. Gosto do encontro entre músicos. Carlinhos Brown (o apresentador da premiação) não deixou a peteca cair. Quando Brown se confrontou com os Racionais MC's complementou a mensagem do grupo. A coisa chegou a um momento altíssimo da cultura brasileira. Ali, tudo foi dito... para bom entendedor.
Folha - Você tem composto músicas para o próximo trabalho?
Caetano -
Não, tenho me dedicado aos shows de "Livro Vivo". Só fiz um samba-enredo com Gabriel o Pensador para o filme "Orfeu", de Cacá Diegues. A música conta a história do carnaval carioca.
Folha - Você acha que Paula Lavigne foi imprudente na entrevista que concedeu à "Playboy"?
Caetano -
Não, adorei a entrevista de Paulinha. Imprudente?
Folha - Sim, pela revelação de que vocês fizeram sexo quando ela tinha 13 anos de idade.
Caetano -
Ah, o que que tem? Não estou preocupado. Não sou Michael Jackson não.





Show: Caetano Veloso  
Quando: hoje, às 16h  
Onde: praça da Paz, parque Ibirapuera (av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Ibirapuera, região sudoeste, s/tel.)  
Quanto: grátis Patrocínio: Pão de Açucar








São Paulo, segunda, 17 de agosto de 1998

SHOW

Caetano reúne 110 mil pessoas no Ibirapuera
da Reportagem Local


Caetano Veloso recebeu ontem, das mãos de Rita Lee, o título de cidadão paulistano, conferido pela Câmara Municipal de São Paulo.




A entrega ocorreu durante o show que o cantor e compositor baiano fez no parque Ibirapuera (zona sudoeste) e que reuniu aproximadamente 110 mil pessoas, de acordo com a Guarda Civil Metropolitana.
 
Assim que recebeu o título, Caetano afirmou que "as relações de São Paulo com o resto do Brasil têm de se adensar e adoçar".
 
Os vereadores Nelo Rodolfo (PPB), presidente da Câmara, e Aldaíza Sposati (PT) pretendiam entregar a honraria para o cantor no palco, junto com Rita Lee. Mas acabaram desistindo porque Caetano "não quis dar um cunho político ao espetáculo", segundo os organizadores do evento.
 
O show começou às 16h com a canção "Minha Voz, Minha Vida" e terminou às 18h05 com "Você É Linda". No espetáculo, Caetano leu trechos do livro autobiográfico "Verdade Tropical". Também dançou com os filhos Moreno e Zeca durante "How Beautiful Could a Being Be".
 
Logo depois de ouvir "Leãozinho", a platéia cantou "Parabéns a Você" para o compositor, que fez 56 anos no último dia 7.
 
Embora expressivo, o público de ontem não superou as 160 mil pessoas que estiveram no Ibirapuera em 1995 para ver Ray Charles.














No hay comentarios:

Publicar un comentario