viernes, 14 de septiembre de 2012

1997 - PRA NINGUÉM


Música y letra: Caetano Veloso
© 1997 Uns Produções (Natasha)

Nana cantando "Nesse mesmo lugar"
Tim Maia cantando "Arrastão"
Bethânia cantando "A primeira manhã"
Djavan cantando "Drão"
Chico cantando "Exaltação à Mangueira"
Paulinho, "Sonho de um Carnaval"
Gal cantando "Candeias"
E Elis "Como nossos pais"
Elba cantando "De volta pra o aconchego"
Sílvio cantando "Mulher"
E Elisete cantando "Chega de mágoa"
Carmen cantando "Adeus batucada"
Gilberto cantando "Sobre todas as coisas"
Cauby cantando "Camarim"
Orlando cantando "Faixa de cetim"
Milton, "O que será?"
Roberto, "A madrasta"
Bosco, "Rio de Janeiro"
E Dalva, "Poeira do chão":

Melhor do que isso só mesmo o silêncio
E melhor do que o silêncio só João

Nara cantando "Diz que fui por aí"
Marisa, "A menina dança"
Aracy cantando “A Camisa amarela"
Amélia, "Boêmio"
Max, "Polícia"
Nora, "Menino grande"
Dolores, "Não se avexe não":

Melhor do que isso só mesmo o silêncio
E melhor do que o silêncio só João




 
1997 - CAETANO VELOSO 
67.638.778
Álbum "Livro"
PolyGram / Mercury CD 536.584-2, Track 14.


2003 - BARBARA CASINI QUARTET
Álbum “Uma voz para Caetano – A tribute to Caetano Veloso”
IRD / Philology CD W 232.2, Track 8. [Italia]




 



NESTE MESMO LUGAR (Armando Cavalcanti/Klesius Caldas) Nana Caymmi
ARRASTÃO (Edu Lobo/Vinicius de Moraes) Tim Maia
NA PRIMEIRA MANHÃ (Alceu Valença) Maria Bethânia
DRÃO (Gilberto Gil) Djavan
EXALTAÇÃO Á MANGUEIRA (Enéas Brites da Silva/Aloísio Augusto da Costa) Chico Buarque.
SONHO DE UM CARNAVAL (Chico Buarque) Paulinho da Viola
CANDEIAS (Edu Lobo) Gal Costa
COMO NOSSOS PAIS (Belchior) Elis Regina
DE VOLTA PRO MEU ACONCHEGO (Dominguinhos) Elba Ramalho
MULHER (Custódio Mesquita/Sadi Cabral) Silvio Caldas
CHEGA DE MÁGOA (Gilberto Gil/Caetano Veloso/Chico Buarque/Erasmo Carlos/Fagner/Fausto Nilo/Fernando Brant/Milton Nascimento/Roberto Carlos) Elizeth Cardoso
ADEUS BATUCADA (Synval Silva) Carmem Miranda
SOBRE TODAS AS COISAS (Edu Lobo/Chico Buarque) Gilberto Gil
BASTIDORES (Chico Buarque) Cauby Peixoto
FAIXA DE CETIM (Ary Barroso) Orlando Silva
O QUE SERÁ [À Flor da Pele] (Chico Buarque) Milton Nascimento
MADRASTA (Renato Teixeira/Beto Ruschell) Roberto Carlos
RIO DE JANEIRO [Isto é o Meu Brasil] (Ary Barroso) João Bosco
POEIRA DO CHÃO (Armando Cavalcanti/Klesius Caldas) Dalva de Oliveira
DIZ QUE FUI POR AÍ (Zé Ketti) Nara Leão
A MENINA DANÇA (Luiz Galvão/Morais Moreira) Marisa Monte
CAMISA AMARELA (Ari Barroso) Araci de Almeida
BOÊMIO [Depois dos Arcos II] (Paulo Cesar Pinheiro/Luiz Moura/Afonso Machado) Amélia Rabello
POLÍCIA (Tony Belloto) Max Cavaleira (Sepultura)
MENINO GRANDE (Antonio Maria) Nora Ney
NÃO SE AVEXE NÃO (Francisco Anysio/Haydee Paula) Dolores Duran



Caetano Veloso, texto de apresentação do disco "Livro" (1997)


"Às vezes penso que minha profissão tem sido perseguir Chico Buarque. Mas é uma perseguição amorosa. E tem dado tão bons resultados já faz tanto tempo, que desta vez, ao contrário do que aconteceu com "Você não entende nada" — música que nomeei "Sem açúcar" (parafraseando "Com açúcar, com afeto") porque à época julgavam haver entre nós uma rivalidade reles —, não temi pôr o nome "Pra ninguém" na canção que, como o "Paratodos" de Chico, lista virtudes de colegas. Chorei tanto quando Chico, em sua casa, me mostrou "Paratodos", que estava certo de nunca fazer nada para macular esse sentimento. "Pra ninguém" surgiu — sem título — a partir da vontade irresistível de mencionar a gravação de Nana de "Nesse mesmo lugar" e, quase ao mesmo tempo, a de "Arrastão" por Tim Maia. Começou-se a insinuar uma lista que eu julgava impossível de pôr em música à medida em que ia fazendo exatamente isso. O título se impôs, apesar dos resquícios de supercuidado, porque ele, além de ecoar "Alguém cantando" ( "como que pra ninguém..." ), evidenciava o critério de eleições intransferivelmente pessoais, o que fazia da canção uma espécie de "festa íntima da música". A peça de Gabriel o Pensador me comove e exalta de modo semelhante à de Chico, embora em registro diferente. São grandes canções de congraçamento. Já "Pra ninguém" é uma meditação sobre o mistério do cantar (não se cita ninguém cantando nada de sua própria autoria) e do ouvir cantar. E é uma avaliação extra-técnica e supra-crítica que, no entanto, conclui com a colocação crítica e tecnicamente correta de João Gilberto em seu posto. É o João Gilberto de quem sempre emanam idéias para repertório e para tratamento de material, das quais sempre se bebe sem sempre se dar o devido crédito...."




PARATODOS
Letra y música: Chico Buarque
© 1993  Marola Edições Musicais Ltda.
Todos os direitos reservados
Direitos de Execução Pública controlados pelo ECAD (AMAR) Internacional Copyright Secured



O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano
Meu maestro soberano
Foi Antonio Brasileiro

Foi Antonio Brasileiro
Quem soprou esta toada
Que cobri de redondilhas
Pra seguir minha jornada
E com a vista enevoada
Ver o inferno e maravilhas

Nessas tortuosas trilhas
A viola me redime
Creia, ilustre cavalheiro
Contra fel, moléstia, crime
Use Dorival Caymmi
Vá de Jackson do Pandeiro

Vi cidades, vi dinheiro
Bandoleiros, vi hospícios
Moças feito passarinho
Avoando de edifícios
Fume Ari, cheire Vinícius
Beba Nelson Cavaquinho

Para um coração mesquinho
Contra a solidão agreste
Luiz Gonzaga é tiro certo
Pixinguinha é inconteste
Tome Noel, Cartola, Orestes
Caetano e João Gilberto

Viva Erasmo, Ben, Roberto
Gil e Hermeto, palmas para
Todos os instrumentistas
Salve Edu, Bituca, Nara
Gal, Bethania, Rita, Clara
Evoé, jovens à vista

O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano
Vou na estrada há muitos anos
Sou um artista brasileiro








Chico homenageia seu mestre 
Tom Jobim
Caetano homenageia  
João Gilberto.



 

No hay comentarios:

Publicar un comentario